segunda-feira, 20 de junho de 2016

Dica

A person who is reflecting very angry and is holding to remain calm - pt







Quando a ira nos domina, ela pode causar danos. Então, como direcioná-la?
1. Detectar as diversas cores da ira
Não estamos falando apenas de levantar a voz a outra pessoa; também há rancores silenciosos, murmurações interiores contra uma instituição, incômodos consigo mesmo, autocastigos etc.
2. Perguntar-se se a ira é proporcional ou não
Olhe ao seu redor e pergunte-se: se uma reação justa é de 10, como avaliar este comportamento? Se sua resposta for 14, ou inclusive 25, você saberá em que proporção é preciso reduzi-la. Se lhe falta distância, exercite-se, observando os outros. Depois, dedique-se ao exercício de você mesmo.
3. Tome distância
Se você tem dúvidas fundamentais sobre a resposta que queima seus lábios, é melhor abster-se, refletir e falar após ter se tranquilizado. “Afaste-se o máximo possível, no mesmo instante, do objeto que desperta a sua ira. Mantenha um profundo silêncio também durante todo o tempo que durar o ataque”, aconselha o Cura de Ars.
4. Pratique a virtude contrária à violência: a doçura
E comece o quanto antes, como sugere um padre do deserto: “Se possível, é preciso evitar que a ira penetre o coração; se ela já está nele, aja de maneira que não se manifeste no rosto; se já está se manifestando, guarde a língua, para tentar preservar-se dela; se já está nos lábios, impeça que passe aos atos e tente eliminá-la o quanto antes do seu coração”.
5. Exerça a humildade (que não é a modéstia)
O orgulho muitas vezes é a raiz da ira.
6. Deixe-se ajudar
Se, apesar dos seus esforços, os ataques de ira continuam sendo incontroláveis, frequentes e duradouros, a causa atual (parceiro, chefe, filho etc.) muito provavelmente é apenas o revelador de antigos traumas. O fato de ter vivido períodos de calma não quer dizer que o problema esteja resolvido, mas somente que o desencadeador está longe.
7. Cuide do seu corpo
Quando a ira chegar: respire fundo e pratique a coerência cardíaca. A longo prazo, se o seu caráter o levar à ira: evite os desencadeadores e pratique regularmente um esporte.
8. Entre em um caminho de perdão
Os ataques repentinos (e especialmente o ressentimento) muitas vezes estão ligados a injustiças (verdadeiras ou percebidas) não digeridas.
9. Incentive a ira…
… por uma causa justa e de maneira controlada. A doçura é um equilíbrio justo entre dureza e a suavidade. “Eu nunca ouvi meus pais levantarem a voz – disse um homem de 52 anos. Há alguns dias, pela primeira vez na vida, fiquei bravo com um vizinho que me chamou injustamente de mentiroso. Esta ira, sob controle, me dá confiança em mim mesmo.”
(Texto de Pascal Ide, sacerdote, médico, doutor em filosofia e teologia e autor de numerosas obras de espiritualidade e desenvolvimento pessoal. Atualmente, trabalha na Congregação para a Educação Católica. Artigo publicado originalmente emL’1visibile)
Fonte:http://pt.aleteia.org/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores