quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

GÉRCIA, DEUS LHE DE MUITA LUZ, EM SUA OUTRA MORADA!


Ontem minha prima lembrou-me, que estava completando 11 anos de sua partida, Gercia era a irmã mais nova de minha mãe (minha tia estimada, naquela época, não tinha coragem de dizer o quanto gostava de alguém, há se fosse hoje, quanta coisa faria diferente),
Passou tanto tempo e ainda é como se ela estivesse lá em Porto Alegre onde morava. Quando vinha nos visitar, a casa floria, adorava escutar suas histórias, sabe você rir de doer a barriga, era assim perto dela, ela tinha um humor nato, que mesmo falando sério fazia graça, e as vezes, nem precisava falar, só o olhar já imaginávamos o que estava pensando.
Como suas filhas disseram, mãos de fada, cozinhava e costurava muito bem, vejam na página inicial, clicando no seu nome (Gércia), como suas filhas a descreveram.
Saudades dela e do tempo em que todas as quatro irmãs, Nair, Iracema, Gercia e Luzia, eram vivas e nos reuníamos na casa dos seus pais, onde eu e minha mãe vivíamos. Geralmente era nas férias das crianças que eles vinham, a casa como já disse floria, era bom demais, ver a felicidade de seus pais e das irmãs em estarem juntas, os dias era curtos para tanta conversa e histórias para contar.
Na casa dos meus avós (Aloysio e Abadia Mercedes, vivia minha bisavó Petronilha, mãe de minha avó, minha tia Nair, viúva e com os seus dois filhos, Arão e Moisés, minha tia Luzia, dois tios adotivos dos avós Luís e Marcos, (os considero como irmãos, pois temos quase a mesma idade), morou também conosco uma senhora chamada Georgina, mãe natural da minha tia Luzia, que também meu avô adotou.
Era muita gente morando junto, agradeço a Deus por tudo...tudo o que vivi com minha família, grande alegre, forte, e as vezes briguenta (normal). Hoje vejo o quanto éramos felizes e o quanto foi importante conviver com eles, pessoas do bem. De todos restaram só os primos, as mães e os avós e os dois primos da tia Nair, já se foram, da casa que morávamos só ficou eu e meus dois tios que considero irmãos.
Todos temos as histórias de nossas famílias, mas a família "Wannick", tem a história de ter vivido com muita luta mas, com muto "Amor", tanto amor, que até dividia com quem não tinha,
Creio, e peço a Deus que hoje estejam todos lá no céu com muita Luz, olhando por nós, juntos e felizes, e nós aqui felizes por termos a Graça de ter vivido com eles, em "Família!
Família Presente De Deus!
Foto: Foto cedidas pelas filhas da Gércia. - Texto Maria Auxiliadora




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores